quinta-feira, 4 de setembro de 2008




Freqüentemente nos lamentamos: os tempos são difíceis, pesados e miseráveis….

Vivamos retamente e mudaremos os tempos.

Os tempos não ferem a ninguém.

Os feridos são os homens e esses mesmos são os que causam feridas.

Mudemos, pois os homens e mudaremos os tempos!”

Santo Agostinho (354-430)


Quanta sabedoria, não?!?!



Amigos e amigas,


Estou de volta a este recanto de letras...desculpem-me a ausência...não foi má vontade de escrever. Explico: Eu penso demais e as vezes parece que o caminho de transporte da idéia pro papel é longo e árduo (acho que já escrevi isso antes!), isso porque não gosto de escrever qualquer coisa, afinal de contas "o que foi escrito, documentado está"!

Além disso, aprendi com minha mãe (grande mulher que eu amo e admiro...) que precisamos sempre repartir o (nosso) melhor com as pessoas. Então escrever demanda tempo, dedicação, amor e conteúdo, e por isso mesmo, a maioria dos posts contém citações/poesias/canções que, por um motivo ou por outro, passaram a fazer parte da minha vida ou expressavam bem algo que eu estava sentindo no momento. Gosto muito de ler e ultimamente tenho gostado de visitar blogs alheios, além daqueles que eu já visito regularmente (embora nem sempre tenho deixado comentários...desculpem-me...também ainda não aprendi como deixar no meu blog o link dos que eu gosto muito...se alguém puder me ensinar, agradeço de monte!). Nesse mundo virtual a gente encontra coisas bizarras, mas também tanta coisa linda! Há pessoas que conseguem se expressar de tal forma que dá a impressão que a conhecemos de longa data, tamanha a empatia que acontece! Daí eu penso: puxa! não posso escrever qulaquer coisa....depois eu escrevo com mais calma, escrevo melhor...Daí o tempo passa, e quando vi, não escrevi nada!!!


Bah, fiquei aqui com minhas digressões e o tempo de escrever está acabando!

Fica como partilha a nobre mensagem de Santo Agostinho!

Busquemos a mudança, a conversão, a "metanóia" como diriam os Padres da Igreja (+/- Sec IV); uma mudança de atitude e pressupostos, pois não podemos ser transformados a menos que tenhamos antes sido limpos do que quer que se coloque contra a transformação. Não podemos ser transformados a menos que e tenhamos entendido o que desfigura o coração humano...


Beijos a todos!!


Paz e bem!!



4 comentários:

Leandro disse...

Oi Grazi :-D


Como sempre, suas palavras desfilam alegorias etéreas pelo mundo virtual.
Muito bonito mesmo! Parabéns.

Abraços e até breve.
Leandro :P

Leandro disse...

Olá Grazi,

Por Deus! Que palavras sublimes as do Filoteu. Realmente são palavras que devem ser lidas não somente como mera "obra da literatura" ou coisa parecidam, mas sim, lê-las com o coração, com a alma, e, abluir-se nelas.
Parabéns Grazi e muitíssimo obrigado pelo seu comentário.

Abraço,

Hudson Nogueira disse...

Saudações minha cara poetisa.

Estava com saudades da sua letra... é sempre um religar ao que Transcende. Transcendido estou por isso, agora.
E é transcendendo que se refigura o coração humano.
Por isso: "Corações ao Alto..."

Seu amigo e poeta menor
Hud

this too will pass disse...

lovely photo