quinta-feira, 5 de março de 2009

Construção - Des.construção - Re.construção





É sempre necessário olhar-nos a nós mesmo com um novo olhar. A realidade e o momento presente sempre nos oferecem inúmeras possibilidades de ser e reagir. Pode ser um erro, um chacoalhão, um choque, um acerto, um gozo, enfim, qual vida estaria isenta de dramas e escolhas? Mesmo que o coração anseie coisas mais altas, é preciso sempre voltar os pés para realidade.
Em nossa caminhada estamos sempre a construir. É quase impossível permanecermos inertes: com nossos sonhos, anseios, sentimentos e percepções construímos pontes, construímos muros, construímos castelos. Muitas vezes construímos na areia. Imagens que figuram como se fossem a realidade. Quero dizer que inúmeras vezes substituímos a realidade pela imagem - moldada às nossas convicções e anseios - que temos dela. Neste caso é preciso des.construir para poder acolher o real. É preciso des.construir o “ideal” que fazemos de Deus para que Ele se faça realmente presente, para que o acolhamos tal qual Ele é, tal qual se revelou na pessoa de Cristo; é preciso des.construir o ideal que fazemos das pessoas para que elas possam ser quem realmente são e assim termos certeza que as amamos (ou não) verdadeiramente; é preciso des.construir a imagem ideal que temos de nós para abraçar a realidade com seus limites e imperfeições poder re.construí-la nos seus verdadeiros moldes: à imagem e semelhança de Deus.

Isto é desafio! Dói, exige, constrange. Porém a verdade nos compele, sempre...

Ao longo do percurso poderemos cantar com o coração livre e feliz, parafraseando Cecília Meirelles: "aprendi com as primaveras a deixar-me cortar e a voltar sempre inteira".

Um comentário:

Leandro Souza disse...

Paz querida Grazi.

Às vezes construímos as coisas "à nossa imagem e semelhança" - queremos que a realidade se afigure como desejamos. Ao se fazer isso, Deus(louvado seja), afasta-se de nós. Nossos desejos baseados em escolhas baseadas no apego, ansiedade, medo de se estar abandonado(mas, Deus sempre está conosco), então, como se costuma dizer: "Dá tudo errado!".
Não, não é assim, deixemos Deus fluir em nossas vidas como um rio a refrescar a alma, os dias, a existência.

Fique com Deus.
Beijos,
Leandro :-)